Mãos de Minas
Voltar

Depoimentos

    

 

 

  

  Lúcia e Luciana Rosalino

  “Tínhamos muitos problemas na hora de comercializar e divulgar o nosso trabalho e  depois   que nos associamos à Mãos de Minas, há cerca de 10 anos, estes problemas  melhoraram  100%. Ficamos conhecendo a associação através de um amigo que nos  contou as  vantagens que teríamos como, os descontos e a divulgação das nossas peças.  Hoje,  nosso trabalho é reconhecido: ganhamos o prêmio Planeta Casa 2007 e fizemos em  2010  uma participação no programa Impacto Zero, da Multishow, que só foi possível  porque a  Mãos de Minas nos indicou para os produtores do programa”.

  As artesãs Lúcia e Luciana Rosalino, são irmãs, da cidade de Piedade dos Gerais, e      produzem móveis ecológicos feitos com fibra de taboa e pneus velhos.

 

 

                                                  

 Leonardo Bueno

"O artesanato foi o início de tudo; foi onde comecei a minha carreira.Conheci a Mãos de Minas quando participei pela primeira vez da Feira Nacional de Artesanato. Como sempre quis me filiar a alguma associação forte, me associei à Mãos de Minas.Com a Central, consegui todo tipo de apoio para fazer o meu negócio se desenvolver de forma sólida e, as coisas melhoraram tanto, que hoje exportamos para várias partes do mundo”.


Leonardo Bueno começou a trabalhar com artesanato enquanto fazia faculdade de turismo e hotelaria. Na época ele teve a ideia de criar peças que pudessem decorar a sua pousada, na cidade de Maria da Fé e o resultado ficou tão bom que a produção não parou mais. Suas esculturas, móveis e objetos de decoração em geral podem ser vistos em vários lugares.

 

 

 

 

Odair Ribeiro

“No princípio o artesanato era só um complemento e como o passar do tempo ele virou minha principal fonte de renda. Hoje vivo exclusivamente dele, mas isto só foi possível depois do meu encontro com a Mãos de Minas, há cerca de 4 anos, quando me tornei associado. Conheci a Mãos de Minas através da Feira Nacional de Artesanato e a decisão de me tornar associado veio com a dificuldade de colocar e divulgar o meu trabalho no mercado. Uma das maiores dificuldades era a venda para lojistas porque eles pediam nota fiscal e eu não tinha. Hoje, uso a Mãos de Minas como referência para os lojistas de todo o Brasil, pois ela me oferece qualidade, compromisso e legitimidade. É uma grande parceria.  Isto tudo junto alavancou minhas vendas e hoje minhas bonecas ficaram conhecidas em todo o Brasil”.

Desde criança o trabalho manual acompanha o artesão Odair Neves. Suas bonecas feitas em cabaça e biscut, capim dourado, madeira, entre outras matérias-primas são sucesso por onde ficam expostas e são bem aceitas pelo mercado internacional.

 

 

Telis Maciel

“Conheci a Mãos de Minas, em 2001, quando participei pela primeira vez da Feira Nacional de Artesanato. Quando me associei fui em busca de nota fiscal e não tinha noção do papel de uma associação na vida de um artesão. Com o tempo, começamos a usufruir dos serviços que a Mãos de Minas oferecia e os problemas tipo: administração, vendas, aquisição de matéria-prima e outros, foram sendo resolvidos aos poucos. Por isso, hoje procuro aproveitar todas as oportunidades que a associação vem trazendo para nós, que diga de passagem tem aumentado a cada dia. Um exemplo foi a consultoria do programa 5S que  me mostrou um potencial que eu tinha e não sabia. Daí, tudo começou a acontecer, tomando um caminho mais sólido e com mais retorno .Agora trabalho com uma visão mais abrangente de mercado, tenho uma consciência ecológica e social e procuro levar aos meus clientes informações que vão além dos produtos”

 

 

Mensagem aos artesãos

Gostaria de deixar uma mensagem a todos aqueles artesãos que estão iniciando e aos veteranos: Não fiquem só de cabeça baixa preocupados em produzir.Levantem a cabeça e olhem para o que está em sua volta procurando se informarem sobre tudo o que diz respeito ao artesanato, pois às vezes demoramos muito a ter essa atitude e com isso, perdemos muito tempo.Aos que já são veteranos, nunca deixem de procurar novas oportunidades de aperfeiçoarem seus produtos, porque desta foram sempre continuaremos vislumbrando futuros melhores seja qual for a época que atravessamos.

 

Há 12 anos à frente da Petiti Julie, a artesã Telis Maciel produz, dentre outras peças, imãs de geladeira, bloquinhos de recados e jogos americanos. A artesã procura criar novas peças e personaliza produtos de acordo com a pessoa ou a região do país.

 

Eduardo Eleutério

“Através da divulgação feita pela Mãos de Minas, o meu trabalho hoje é reconhecido e valorizado como “obra de arte brasileira”.  Estou atingindo os ápices de produção e atendendo à pedidos de grandes empreendimentos. Sou associado desde 2002 e conheci a ONG por indicação de um amigo. Na época, tinha problemas para emitir nota fiscal e divulgar o meu trabalho e depois de me associar estes problemas acabaram e agora o artesanato, além da minha vida é o meu sustento”

 

Eduardo descobriu o seu talento para o artesanato desde criança. Suas peças feitas em madeira têm conquistado cada vez mais pessoas em todas as partes do mundo. Recentemente um de seus produtos, um porta-joias em formato de esfera com o mapa do Brasil desenhado, foi o presente escolhido pela presidente Dilma Rousseff para entregar ao presidente norte-americano Barack Obama durante visita ao Brasil.